Almaria

Edifício da CorteEdifício da Corte Edifício da CorteEdifício da Corte

Reserve Online
Scroll

Dom Dinis

(1261 - 1325)

Dinis, apelidado de o "Rei Lavrador" e o "Rei Poeta", foi Rei de Portugal de 1279 até à sua morte. Era o filho mais velho do Rei D. Afonso III e sua segunda esposa Beatriz de Castela.

Em 1282 desposou Isabel de Aragão, que ficaria conhecida como Rainha Santa. Ao longo de 46 anos de reinado, foi um dos principais responsáveis pela criação da identidade nacional e o alvor da consciência de Portugal enquanto estado-nação: em 1297, após a conclusão da Reconquista pelo seu pai, definiu as fronteiras de Portugal no Tratado de Alcanizes, prosseguiu relevantes reformas judiciais, instituiu a língua portuguesa como língua oficial da corte, criou a primeira Universidade portuguesa e libertou as Ordens Militares no território nacional de influências estrangeiras.

A sua política centralizadora foi articulada com importantes ações de fomento económico - como a criação de inúmeros concelhos e feiras.Dinis ordenou a exploração das minas de cobre, prata, estanho e ferro, tendo também organizado a sua exportação para outros países europeus.

Em 1308 assina o primeiro acordo comercial português com a Inglaterra.

Em 1312 funda a marinha Portuguesa, nomeando como o 1º Almirante de Portugal, o genovês Manuel Pessanha.

Foi grande amante das artes e das letras. Tendo sido um famoso trovador, cultivou as Cantigas de Amigo, de Amor e a sátira, tendo contribuído para o desenvolvimento da poesia trovadoresca na península Ibérica. Pensa-se ter sido o primeiro monarca português verdadeiramente alfabetizado, tendo assinado sempre com o seu nome completo. Culto e grande curioso quer das letras como das ciências, foi o grande impulsionador da tradução de muitas obras para português, entre as quais se contam os tratados de seu avô D. Afonso X, o Sábio.

Dinis, responsável pela criação da primeira Universidade portuguesa, inicialmente instalada na zona do atual Largo do Carmo, em Lisboa e por si mandada transferir para Coimbra em 1308.

Após a sua morte, em 1325 foi sucedido pelo seu filho legítimo, Afonso IV de Portugal.

scroll
os nossos edificios

Este site usa cookies para melhorar sua experiência de navegação e fornecer o melhor serviço possível. Continuando a navegar no site, aceita o seu uso.

Ver mais
Ok